jueves, 18 de marzo de 2021

24 hs 24 kilos (work in progress) 2021



Em junho de 1975 a Frelimo entrou no actual Maputo (Lourenço Marques) Moçambique, libertando o país de séculos de colonialismo português. Soto intervém no livro Memorias Coloniales de Isabela Figueiredo, apagando toda a narrativa da autora, mantendo apenas as palavras referentes à raça, corpo e sexualidade. 

Se a opressão colonial foi imposta apagando a palavra e a voz dos povos conquistados nesta obra, a artista opera invertendo o processo, silenciando a voz branca que, apesar de tudo, continua a hegemonizar a história. 

martes, 6 de octubre de 2020

Tropic´s Damned Orgasmic and Devoted.

Obras ejecutadas en alto lizo para la artista Rivane Neuenschwander por el equipo de artistas Jorge Francisco Soto, Magalí Sánchez Vera y Elke Othe Hülse con asistencia de Marco Antônio Mota para Tania Bonakdar Gallery NY 























sábado, 6 de junio de 2020

miércoles, 22 de abril de 2020

SP-arte 2020 (suspenso)


Este año estaba prevista la presentación de los libros de los artistas Augusto de Campos, Almandrade y Jorge Francisco Soto editados por Gravuras no Brasil en Sp-Arte São Paulo y en la Feria de Arte de Lisboa ambas canceladas por la pandemia del Covid 19.

viernes, 1 de marzo de 2019

ARCO Madrid 2019 Galería Baró

Jorge Francisco Soto

Artista, professor e designer gráfico, Jorge Francisco Soto nasceu na cidade de Montevidéu. Expõe regularmente seus trabalhos individual e coletivamente  no Uruguai e no exterior. Soto inicia um diálogo com composições geométricas através da colagem em papel ao desconfigurar essas letras set e tone, portanto as construções geométricas acabam se tornando um índice (index) de letras, nos remetendo às vezes, a uma poesia concreta. Suas composições são muito diversas: em alguns momentos possui uma simetria muito precisa, em outros, adquire uma composição um pouco mais desequilibrada, trazendo formas geométricas,outras vezes utilizando-se da linha como elemento do desenho ou a gestalt como estrutura de imagem, o que lhe garante uma diversidade na confecção de imagens. 
Allan Yzumizawa (adaptado) ------------------------------------------------------------------------------ Artist, teacher and graphic designer, Jorge Francisco Soto was born in the city of Montevideo. He has regularly exhibited his works individually and collectively in Uruguay and abroad. Soto begins a dialogue with geometric compositions through paper collage by unconfiguring these set and tone letters. Therefore, geometric constructions end up becoming an index of letters, sometimes referring to a concrete poetry. His compositions are very diverse: in some moments he possesses a very precise symmetry, in others he acquires a slightly more unbalanced composition, bringing geometric forms, sometimes using the line as an element of the drawing or the gestalt as an image structure, the which guarantees a diversity in the making of images.
Allan Yzumizawa (adaptation)

#jorgefranciscosoto #soto #barogaleria#arcomadrid #arcomadrid2019




lunes, 14 de enero de 2019

O sentido do original na Gravura Galería Baró, São Paulo



A BARÓ Galeria apresenta a mostra O Sentido do Original na Gravura, composta por gravuras em diálogo com trabalhos originais de artistas e poetas visuais contemporâneos. As gravuras apresentadas são editadas e impressas por Gravuras no Brasil, parceira da BARÓ Galeria para esta ocasião. Destacam-se na sala principal obras gráficas do artista Almandrade e nas salas seguintes obras de Cezar Brandão, Jorge Francisco Soto, Clemente Padin e Falves Silva. O conjunto da mostra oferece um pequeno panorama da uma experiência visual latino americana (Brasil e Uruguai), e sua dimensão poética, buscando cativar um olhar crítico e sensível, além do desenvolvimento do gosto pela arte.

Em plena era digital, a gravura artesanal resgata um fazer milenar. Feita manualmente, ela é uma forma acessível de dispor de uma obra de arte original,  sem perda das qualidades estéticas e oportuna para quem inicia uma coleção, além de um claro incentivo para a convivência com esse objeto enigmático, a arte. 
  
“Gosto da gravura em si, da gravura autônoma, da gravura que
primitivamente não ilustra nada, aquela que chamo de gravura
auto-eidética.” (Gaston Bachelard)

Além da mostra serão lançados livros poemas, álbuns impressos em serigrafias e com edições limitadas, disponibilizando assim para o público uma obra poética, a princípio de conteúdo diversificado, com coerência editorial.
B A R Ó
www.barogaleria.com

Rua da Consolação 3417
01416-003 São Paulo | Brasil
+55 11 3661.9770+55 11 98537-4543 



Jorge Francisco Soto
Serie Geometrías imperfeitas
Colage, letra tone sobre papel vegetal.
2017-18

sábado, 11 de agosto de 2018

Unánime Noite Vol. 3 Fundación Iberê Camargo Porto Alegre

Vol. 3 Unânime Noite
Curador Bernardo José de Souza
Fundación Iberê Camargo Porto Alegre


Unânime Noite – Volume 3, como o nome já explicita, é a terceira edição de uma mostra que o curador Bernardo José de Souza descreve como algo mais próximo a um "romance", com capítulos em vez de edições. Os volumes 1 e 2 foram apresentados, respectivamente, na galeria Bolsa de Arte, de São Paulo, em 2015, e no Centro de Arte Contemporânea de Vilnius, na Lituânia, em 2016, a cada vez com um novo conjunto de obras e artistas. A exposição na Lituânia se justifica porque a inspiração inicial de Souza para o projeto foi um texto escrito pelo artista e curador lituano Raimundas Malasauskas, no qual são listadas formas e conceitos de narrativas que ajudam a delimitar o que é humano.
A exposição conta com obras de, entre outros, Ana Mazzei, Cristiano Lenhardt, Daniel Jablonski, Eduardo Haesbaert, Samuel Becket, Elida Tessler, Gustavo Torres, Jorge Francisco Soto, Regina Silveira, além do próprio Malakauskas e de Iberê Camargo entre outros.


Losers. Esto no es una pipa. Jorge Francisco Soto 2008/2017 Instalación.